É normal ter o pênis torto?

É normal ter o pênis torto?

Por: - Cirurgia Pediátrica - SC 9020 RQE 6364
Publicado em 02/02/2019 - Atualizado 20/03/2019

Uma criança com o pênis torto não significa que há algo de errado. Uma pequena curvatura no órgão, tanto para a direita quanto para a esquerda, é completamente normal e a maioria dos homens possuem. É muito raro que a condição afete a vida sexual do homem, seu trato urinário ou cause algum tipo de desconforto.

O pênis torto só é considerado uma doença quando é causado por algum problema de nascença ou pela doença de Peyronie, que atinge, principalmente, os homens na vida adulta. Na infância, é o pênis curvo congênito ou a hipospádia que podem estar relacionados à anormalidade identificada no órgão. Saiba mais sobre as doenças na infância!

Pênis curvo congênito

Em crianças que nasceram com o pênis curvo congênito, a deformidade só é notada, na maioria das vezes, quando o menino tem uma ereção. Em alguns casos, isso pode ser observado quando os pais levam a criança para urinar de bexiga cheia ou durante uma consulta de rotina com o pediatra.

A curvatura observada pode ser direcionada para qualquer lado, dependendo do local do pênis afetado. No momento em que surge a dúvida se o encurvamento é normal, é importante saná-la em uma consulta com o urologista pediátrico.

O pênis torto congênito não provoca dor. A causa para o seu desenvolvimento é a falta de simetria entre os corpos cavernosos. Essas estruturas atuam diretamente na ereção e, caso ocorra de uma delas ser mais longa do que a outra, pode surgir a curvatura peniana para o lado de menor comprimento.

 

Mesmo que não cause dor ou incômodo na criança, o problema deve ser corrigido para evitar complicações no futuro, como dificuldade para manter relações sexuais.

O tratamento mais recomendado é o procedimento cirúrgico. A cirurgia é feita de forma rápida e segura e tem como finalidade principal tornar o pênis mais retificado possível, para permitir a penetração sem dor, podendo provocar um pequeno encurtamento do pênis.

Hipospádia

A tortuosidade peniana associada à hipospádia é, geralmente, detectada pelo médico logo após o nascimento, no momento do exame físico do bebê. Isso porque essa doença, além do pênis curvo, tem outra característica facilmente identificável: o “buraquinho” final da uretra não está localizada no centro da glande, como deveria, e sim em outra parte do órgão.

Dependendo da localização, a hipospádia é classificada como:

  • distal: a abertura da uretra localiza-se perto da glande, no pênis, e distante da base do corpo do pênis;
  • peniana: a abertura da uretra fica ao longo do corpo do pênis, um pouco abaixo da glande;
  • proximal: a abertura da uretra se forma próxima à região do escroto;
  • perineal: é o tipo mais raro de hipospádia, em que a abertura da uretra surge próxima ao ânus.

Os meninos que nascem com esse problema podem enfrentar sentimentos como o constrangimento de precisar urinar sentado. A hipospádia exige acompanhamento especializado com urologista pediátrico até que a condição possa ser considerada completamente sanada.

O tratamento da hipospádia é cirúrgico e o ideal é que a operação de correção da hipospádia seja feito entre os seis e os 18 meses de vida do bebê. Porém, o que determina se ela pode mesmo ser realizada são diversos fatores, que precisam ser analisados. Isso significa que as indicações de tratamento para um determinado caso não se aplicam, necessariamente, aos demais. Mas as linhas gerais são as mesmas.

A cirurgia de hipospádia corrige os dois problemas: posição da uretra e curvatura do pênis. Após o procedimento, o menino poderá urinar um jato contínuo e em pé, como são ensinados a fazer desde cedo aqueles que estão saudáveis. Também conseguirá ter uma ereção de aparência natural quando iniciar a vida sexual.

Em ambos os casos, o tratamento deve ser realizado, dentre outras razões, para que os meninos possam ter uma vida sexual normal no futuro, bem como não ter problemas durante a micção. Além do aspecto físico, a cirurgia também previne agravos psicológicos que podem advir dessa situação.

 

Quer saber mais sobre o tema? Conheça nossa equipe e entre em contato para tirar suas dúvidas.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Material escrito por:
Cirurgia Pediátrica - SC 9020 RQE 6364
Publicado em 02/02/2019 - Atualizado 20/03/2019

Formada em medicina na Universidade Federal de Santa Catarina. Residência médica em cirurgia geral no...  Ver Lattes

12 de outubro – Dia do Cirurgião Pediátrico

12/10/2020

12 de outubro – Dia do Cirurgião Pediátrico

Leia mais

Hérnia umbilical: o que é e como tratar

08/10/2020

Hérnia umbilical: o que é e como tratar

Leia mais

ebook
20/09/2018

Ebook de Dicas

BAIXAR

Agendar Consulta