Estenose de JUP: das causas ao tratamento

Estenose de JUP: das causas ao tratamento

Por: - Cirurgia Pediátrica - SC 9020 RQE 6364
Publicado em 17/09/2018 - Atualizado 07/02/2019

A estenose de JUP (junção ureteropélvica) se caracteriza pelo estreitamento da junção entre a pelve renal e o ureter. Em decorrência disso, o fluxo natural da urina acaba sendo prejudicado e a urina se acumula no rim, dilatando-o, o que chamamos de hidronefrose.

Como acontece a estenose de JUP?

Sabemos que a principal função do rim é filtrar o sangue, retirando substâncias tóxicas produzidas em nosso metabolismo e, assim, produzindo a urina que é coletada em uma espécie de funil, chamada de pelve renal. É a partir  dela que parte o ureter, responsáveis por conduzir a urina do rim até a bexiga. A essa transição da pelve para o ureter, chamamos de junção ureteropélvica (JUP).

 

A estenose é o estreitamento dessa junção. Em consequência disso, o resultado é uma obstrução do fluxo urinário na região, impedindo a saída da urina  do rim. Dessa maneira, a urina se acumula no órgão e o dilata, prejudicando parcial ou completamente sua função.

Causas da estenose de JUP

A estenose de JUP pode ser congênita (mais comum) ou adquirida. Quando a causa é congênita, se dá por malformação na musculatura da junção ureteropélvica ou pela presença de vasos anômalos que comprimem a região.Embora esteja presente desde o nascimento, pode ser que apresente sintomas só tardiamente.

Já a estenose de JUP adquirida aparece como consequência de cálculos renais ou após cirurgias prévias.

 

Sintomas e diagnóstico da estenose de JUP

Quando houver sintomas da estenose de JUP, estes podem ser:

  • presença de sangue na urina;
  • hipertensão arterial;
  • dor lombar;
  • infecção urinária e renal recorrente;
  • formação de cálculos renais;
  • palpação de massa abdominal na topografia do rim

Quanto ao diagnóstico da estenose de JUP, este pode ser realizado através de alguns procedimentos:

  • ultrassonografia pré-natal: irá detectar a possível dilatação anormal dos rins no feto;
  • ultrassonografia pós-natal;
  • cintilografias renais;
  • em poucos casos, tomografia computadorizada, ressonância magnética ou urografia excretora.

 

Tratamento da estenose de JUP

O tratamento é cirúrgico. Nos casos em que o rim já não apresenta função, procede-se a nefrectomia (retirada do rim). Nos que apresentam função, faz-se a pieloplastia que consiste em retirar a área estreitada e refazer a junção da pelve renal com o ureter, restabelecendo o fluxo urinário normal.

 

O objetivo primordial do tratamento é o alívio dos sintomas se existirem e a preservação da função renal. Caso não seja devidamente tratada, a estenose de JUP pode resultar em infecções urinárias, cálculos renais, hidronefrose e insuficiência e/ou falência da função renal nos casos bilaterais ou de rim único.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Material escrito por:
Cirurgia Pediátrica - SC 9020 RQE 6364
Publicado em 17/09/2018 - Atualizado 07/02/2019

Formada em medicina na Universidade Federal de Santa Catarina. Residência médica em cirurgia geral no...  Ver Lattes

12 de outubro – Dia do Cirurgião Pediátrico

12/10/2020

12 de outubro – Dia do Cirurgião Pediátrico

Leia mais

Hérnia umbilical: o que é e como tratar

08/10/2020

Hérnia umbilical: o que é e como tratar

Leia mais

ebook
20/09/2018

Ebook de Dicas

BAIXAR

Agendar Consulta