Hidronefrose: como diagnosticá-la em crianças?

Hidronefrose: como diagnosticá-la em crianças?

Por: - Cirurgia Pediátrica - /SC 17015 | RQE 11522
Publicado em 15/06/2018 - Atualizado 07/02/2019

A hidronefrose se caracteriza pela dilatação do rim ou de seu sistema coletor. Pode ser decorrente de uma obstrução em qualquer ponto do trato urinário, o que dificulta a drenagem da urina que, ao se acumular, ocasiona a dilatação. Também pode ser resultado do retorno anormal de urina da bexiga em direção ao rim, o chamado refluxo vesicoureteral. A hidronefrose pode variar de leve à grave.

Hidronefrose em crianças

A hidronefrose pode ser detectada já na ultrassonografia  durante a gestação. Não se relaciona à ação dos pais durante o período de gravidez, nem é hereditária.

A hidronefrose leve, geralmente, não apresenta sintomas e os rins são sutilmente afetados, podendo a anomalia desaparecer  no primeiro ano de vida. Já em conotação mais grave, a condição pode resultar em infecções urinárias, sangramento nda urina ou dores abdominais e lombar, e, em alguns casos, ainda poderá notar-se uma protuberância abdominal.

Diagnóstico

Para identificar o grau de hidronefrose, é necessário realizar exames de imagem. O principal é a ultrassonografia do aparelho urinário. A função renal pode ser aferida por meio de cintilografia, que ainda pode mostrar a existência de cicatrizes no rim. Essas cicatrizes são consequência de infecções sofridas pela criança.

É importante que todas as mães sejam acompanhadas com ultrassom no pré-natal, no intuito de diagnosticar precocemente qualquer alteração. Assim, é possível manter-se atento às possíveis complicações que podem surgir através do acompanhamento clínico da criança já desde  recém-nascida.

Tratamento

Os casos de hidronefroses diagnosticados, seja no período pré-natal, seja após o nascimento, devem ser acompanhados conjuntamente com o urologista pediátrico, para determinação do motivo que levou ao acúmulo de urina e seu tratamento, o qual pode variar desde seguimentos com exames de imagem regularmente, uso de medicações até cirurgia.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Material escrito por:
Cirurgia Pediátrica - /SC 17015 | RQE 11522
Publicado em 15/06/2018 - Atualizado 07/02/2019

Realizar cirurgias em crianças não era algo que o Dr. Rafael Miranda Lima imaginava que...  Ver Lattes

12 de outubro – Dia do Cirurgião Pediátrico

12/10/2020

12 de outubro – Dia do Cirurgião Pediátrico

Leia mais

Hérnia umbilical: o que é e como tratar

08/10/2020

Hérnia umbilical: o que é e como tratar

Leia mais

ebook
20/09/2018

Ebook de Dicas

BAIXAR

Agendar Consulta